Minha foto
Comissária de bordo, casada e mãe da Marina, relatando sinceramente essa experiência confusa, trabalhosa e maravilhosa de ser o que há de melhor.

Síndrome do bebê sacudido

Você que costuma brincar ou chamar a atenção de seu bebê sacudindo-o ou jogando ele para o alto, CUIDADO! Isso pode ser muito perigoso, podendo causar sérios danos irreversíveis à criança e em casos mais graves, até em morte. Pesquisei sobre o assunto na internet e trouxe maiores detalhes para quem é leitora aqui do blog. É importante a leitura, recomendo.

É comum um bebê chorar até três horas por dia, afinal essa é a única forma que ele tem para se comunicar e informar que está com sono, fome ou incomodado com o barulho, por exemplo. Mas no interior de muitos lares essa manifestação é rebatida por adultos com violentas sacudidas. Um ato condenável, que acontece com uma frequência muito maior do que se imagina. De tão recorrente virou alvo de um projeto internacional para preveni-lo. A campanha, que teve início na Austrália, já está em mais de 150 países e acaba de ser lançada no Brasil.

O objetivo da campanha é chamar a atenção de pais, babás, outros cuidadores, educadores e médicos para o problema e suas consequências. No meio científico, ele é chamado de síndrome do bebê sacudido. A violência pode provocar danos neurológicos, cegueira e até a morte do bebê. “Essa também é a causa mais comum de traumatismo craniano não acidental entre crianças menores de 3 anos”, afirma o psicoterapeuta João Figueiró, presidente do Instituto Zero a Seis, voltado para a promoção de ações em favor de crianças nesta faixa etária. A entidade e o Laboratório de Análise e Prevenção da Violência da Universidade Federal de São Carlos são os responsáveis pela campanha no Brasil.

Os prejuízos ocorrem principalmente porque, no primeiro ano de vida, o organismo do bebê está em pleno desenvolvimento. Os nervos e vasos sanguíneos são mais frágeis, por exemplo, assim como as estruturas do pescoço. Até os neurônios estão desprotegidos – a membrana que os recobre ainda está em construção. A cabeça de um bebê é grande e pesada em proporção ao resto do corpo. Entre o cérebro e crânio existe um espaço livre destinado ao crescimento e desenvolvimento; os músculos do pescoço do bebê ainda não estão desenvolvidos. Quando se sacode um bebê ou uma criança pequena (geralmente abaixo dos 2 anos de idade), o cérebro ricocheteia contra o crânio, provocando contusão, inchaço, pressão e sangramento (hemorragia intracerebral). Isso pode resultar em dano cerebral grave e permanente, ou mesmo em morte. O ato de sacudir um bebê ou criança pequena também pode provocar lesões no pescoço e na coluna vertebral. As hemorragias da retina podem resultar em perda da visão. Quase sempre, esta síndrome é causada por trauma não-acidental (abuso infantil), provocado por um pai, mãe ou babá irritados, que sacodem o bebê para puni-lo ou fazê-lo ficar quieto. Em casos raros, esta lesão pode resultar, acidentalmente, de ações como arremessar o bebê para o alto ou correr com ele em um "baby bag" preso às costas.

Muitos médicos, no Brasil e no mundo todo, desconhecem a síndrome. “Por isso queremos divulgar mais informações a esses profissionais”, afirma a pediatra Evelyn Eisenstein, professora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Em relação às famílias, a campanha pretende orientar sobre formas de acalmar a criança durante as crises de choro. “A mãe que tem um vínculo forte com o filho protege. Queremos criar meios para fortalecer essa relação e evitar os maus-tratos”, diz a especialista.

Fonte: Enciclopédia da Saúde e Revista ISTOÉ

Bebês falantes

Aprender outro idioma é fundamental, e quanto mais cedo mais fácil para familiarizar-se. A Chicco dispõe de uma linha de brinquedos bilíngues que ensinam as crianças de forma natural e divertida. São brinquedos que estimulam a linguagem através do ouvido, da memorização e da repetição das primeiras palavras.

Recomendados para bebês a partir dos 3 meses, fase em que aperfeiçoam-se as capacidades psicomotoras e começam a executar movimentos, agarrando os objetos à sua volta. A partir dos seis meses são iniciados importantes progressos nos movimentos do seu próprio corpo. Os chocalhos, os ginásios e os primeiros brinquedos desenvolvem a sensibilidade tátil, estimulam as capacidades auditivas e a coordenação motora.

O Teddy Conta Comigo é um urso de pelúcia com atividades táteis e auditivas. Dá risada, pede para dar a mão e deseja boa noite. Dispõe de sensor intuitivo, e quando é colocado de cabeça para baixo, diz que “se sente enjoado”. Recomendado a partir dos seis meses.

Excelentes sugestões de presentes fofos e úteis para o Natal.

Papinha no potinho

Encontrei esta dica em um outro blog chamado Amarelinha de mamães que vivem em Londres, achei ótima a idéia e novamente estou compartilhando com vocês. São potinhos para guardar a papinha dos bebês. A idéia é ótima, além de prática, tem um design ultra moderno e cores vivas.

Há duas opções: 6 potinhos pequenos (foto), ou 4 maiores e eles podem ser encontrados na Brother Max, uma marca nova de produtos infantis, que apesar de estar há pouco tempo no mercado, já vêm ganhando vários prêmios e reconhecimento na área.

A papinha pode ser posta diretamente da panela, depois pode ir para o freezer ou geladeira até a hora de ser servida. Pode ir ao microondas, na máquina de lavar louça e também pode ser usado como pratinho mesmo.

O potinho tem um dispositivo em um dos lados (botão laranja), que serve para tirar a papinha do pote em formato de cubo de gelo e ser transferido para a panela na hora de ser aquecido e também vem com uma caneta para escrever o nome e a data de cada papinha.Os potes se encaixam como uma forma de gelo, se tornando um bloco e facilitando na hora do armazenamento.

Resumindo, nunca tinha vista nada assim tão prático, virei fã!
E vocês, ja conheciam?

Ultrassom portátil


Vi isso no blog Bebê a Vista e adorei a idéia, resolvi compartilhar aqui.
Esta dica vai para as gestantes. A General Eletric lançou na feira Web 2.0 de San Francisco o ultrassom GE VScan. Um ultrassom portátil que capta as imagens e depois transfere para um computador. prático para matar a saudade de seu pequeno mesmo antes dele nascer.

A hora do banho

Banho da Marina na banheirinha normalmente utilizada. Ela prefere mesmo o balde, mas com a Marina nao tem tempo ruim, ela ama tomar banho e se diverte em todos.

O poder de um móbile


Para quem ainda têm dúvidas se compra um móbile ou não, recomendo a compra. Marina fica um tempão entretida com o dela e até ri, quando cansa, dorme. Este eu paguei R$69,90 no mercado livre e é de plush, não tem perigo de o neném se machucar quando começar a pegar as coisas.

Perdeu o trono!

A Ninna era o bebê da casa, cheia de mimos e dengos. Agora a Marina nasceu e ela perdeu o trono. Nada satisfeita com a situação, ela tenta a todo momento se vingar da neném pra ver se consegue seu cargo de volta.

Como matar a saudade...


A pelúcia “Never Miss me Again Doll” foi feita para representar a pessoa amada que está ausente. É um boneco para se abraçar, que contém uma moldura para fotografia e também um gravador de som para se gravar uma mensagem de voz da pessoa.

Serve para colocarmos a fotografia do nosso pequeno e gravar a sua voz para termos sempre por perto quando a saudade bater no coração. Ou então, para colocarmos a nossa foto e gravarmos uma mensagem carinhosa para as crianças ouvirem quando estivermos ausentes e poderem sentir a nossa presença. A esta altura do ano, com a chegada do Natal, este seria um ótimo presente, além de ser muito original.

Vi esta dica no site Coisas Para Crianças e achei perfeita pra mim pela minha profissão, afinal, sempre estarei longe viajando e tanto pra mim quanto pra ela seria uma boa opção. Acho que vou comprar dois. rs Além de já ter arquitetado com o Gab de deixar Skype e web cam 24hs conectada em nossa filhinha pra quando eu chegar nos hotéis poder vê-la e não sofrer tanto de saudade dos meus amores.

Abaixo, um vídeo explicativo do produto.

Tradutor de choro

As coisas estão ficando cada vez mais fáceis, o choro do bebê agora tem tradução!

Se você é mãe de primeira viagem e não sabe ainda se o seu bebê está chorando de fome, sono, ou se está só fazendo manha, um aplicativo de iPhone pode ajudar.

O Cry Translator, ou Tradutor de Choro, em português - analisa o volume, intensidade, tom e a inflexão do choro do bebê e após dez segundos dá o diagnóstico: faminto, sonolento, estressado, irritado ou aborrecido. Dependendo dos resultados, o aplicativo dá até conselhos de como agir em cada uma das situações. De acordo com os testes feitos pela empresa que comercializa o aplicativo, a Biloop Technologic, a eficácia do programa é de cerca de 96%. E os bebês, o que têm a dizer sobre isso?

Agora já dá pra saber!

Mesversário

Dia 25/10 Marina fez 1 mês de vida, mesversário. Sei que estou um pouco atrasada no post, mas estava sem ânimo pra postar aqui no blog devido a muitas coisas. Acontece que agora estou com meu ânimo de volta e cheia de postagens no gatilho. rs

No mesmo dia em que a Marina fez 1 mês, levamos ela à nossa igreja para ser apresentada (como havia explicado no post do casório) e também o Pastor abençoou nossas alianças. Segue abaixo algumas fotos do dia (ficaram faltando algumas mas depois edito aqui) e um video depois, pois adoramos fazer videos da pequena. rs

Abaixo, o video gravado em casa com os amigos, logo após o culto da apresentação e tudo mais.

Banho de balde (ofurô)

Vocês já ouviram falar em banho de balde? Pois eu tomei conhecimento disso no começo da minha gravidez e adorei a idéia. Procurei a banheira Tummy Tub pra comprar mas achei um preço muito alto pra algo quase que idêntico a um balde comum, comprei portanto o balde. Marina já está com 1 mês e 10 dias e só havia tomado banho em banheira convencional, mas com o calor insuportável que está fazendo decidi dar banho na banheira de dia pra aliviar o calor, e hoje experimentar dar banho de baldo a noite pra acalmar e embalar o sono. Ela AMOU, tanto que gravamos um vídeo pra provar.

Especialistas indicam que o balde é mais anatômico, simula o útero materno e diminui o desconforto do bebê. Banho de bebê costuma vir acompanhado de trilha sonora, ou seja, muito chororô. Uma das explicações, segundo especialistas, é que quando os pequeninos entram em contato com a água, logo se lembram do meio aquático do útero que é um lugar fechado, escuro, quente e seguro. Quando percebem que estão em um ambiente claro, menos aquecido e aberto, ficam tensos.

A partir dessa constatação, obstetras e parteiros de maternidades na Holanda criaram em 1997 um baldinho pensando em transmitir ao bebê recém-nascido (até os 6 meses de idade) uma transição tranquila do útero para o mundão. “É como um miniofurô: os bebês ficam em posição fetal, submersos do pescoço para baixo, e relaxam automaticamente”, diz Ana Cristina, parteira do Gama – Grupo de Apoio à Maternidade Ativa.

Um balde comum (dos mais resistentes) custa cerca de 15 reais. Já o Tummytub, que chegou ao Brasil há um ano, sai em média por 120 reais, mas é específico para os bebês: o plástico é atóxico, sua base é antiderrapante e há um centro de gravidade que permite estabilidade e segurança no banho. Dá para ver a lista de lugares onde é vendido no site da empresa: www.tummytub.com.br.



Selando a união

Ontem foi um dia inesperado, corrido e cheio de emoções!
Estávamos cogitando há algum tempo como faríamos a nossa união e o mais importante, quando seria. Mas o que nos impedia e nos impede, é o divórcio do Gab que ainda não saiu. Ele é apenas separada judicialmente, portanto estávamos empacados. Querendo casar, mas não porque 'é o certo', mas porque nos amamos e já o queríamos. Foi então que fiquei sabendo que poderia fazer uma Escritura de União Estável, documento que vale talequal um casamento. Resolvemos então fazê-lo, só não sabíamos ainda quando.

Foi um dia inesperado, porque o chefe do Gab o liberou para a ocasião um dia antes na surpresa. Foi corrido literalmente, porque tivemos que correr atrás das testemunhas. É, não sabíamos que para fazer a união estável precisaria de testemunhas. Mas é o que dizem né, se casar fosse bom não precisava de testemunhas. hehehe Sem dizer que como foi uma data inesperada, não tinhamos nada combinado em relação a isso, muito menos as testemunhas. E mais uma vez, nossos amigos (leia-se anjos da guarda) nos salvaram. O Alex até largou o emprego no meio do expediente. Que o chefe dele não leia isso...
E claro cheio de emoções, pelo fato de estarmos selando um compromisso lindo que assumimos desde o momento em que nos conhecemos (de fato, pois começamos a namorar no dia em que nos vimos pela 1ª vez) e também por quase não termos conseguido chegar a tempo com as benditas testemunhas no cartório. Mas deu tudo certo no final...

agora já era né? rsrs

enquanto eu assinava (o óbito) OPS..certidão, ele fazia graça

nossos anjos Alex e Suemi

Pra finalizar, uma prova de como os escrivãos trabalham pesado no cartório. rs

Amanhã Marina fará 1 mês de estréia em nossas vidas, o mêsversário. Pra aproveitar, iremos fazer a apresentação dela em nossa igreja, pois somos evangélicos e os costumes são diferentes. Não há o batizado tradicional, este, só é feito quando a pessoa tiver consciência de seus pecados e quiser fazê-lo. Porfim, também receberemos as bênçãos de nossa união, feita pelo Pastor.

É apenas o começo de uma vida linda ao lado das duas pessoas mais importantes pra mim nesse Mundo. Eu sei que o Gabriel no fundo está um pouco triste, pois ele gostaria de me proporcionar um casamento lindo e dos sonhos, mas as pompas e circunstâncias ficam para depois
. Já tenho tudo que sempre sonhei em minha vida e posso não ter tudo que quero, mas amo demais tudo que tenho.

Refluxo no bebê, insônia na mamãe!

Estou enfrentando essa fase com a Marina após ter passado por um susto enorme aos 5 dias de vida dela. Problema é que ela vomita em jatos quase sempre que mama. Como agora já estou 'expert' no assunto devido ao susto, tenho tomado medidas simples, porém cruciais que têm amenizado as crises de vômito. É normal recém-nascidos terem um pouco de refluxo no começo , mas não quer dizer necessariamente que a criança tenha a doença, que só poderá ser diagnosticada depois de alguns meses de vida, baseada no histórico de sintomas ou em exames que o pediatra venha pedir. Pesquisei portanto sobre o assunto na internet e também adicionei algumas dicas minhas, para poder orientar mamães inexperientes no assunto como eu a não passarem pelo mesmo episódio que passamos há alguns dias atrás.

O que pode e o que não pode quando o problema é refluxo
:

- Pratique a 'criação por apego' - Este estilo de criação que valoriza o toque diminui a necessidade de o bebê chorar (pois chorar piora o refluxo) e aumenta a habilidade dos pais de combater o problema. Criação por apego não só conforta o bebê, como ajuda os pais a entenderem mais intuitivamente os sinais pré-choro ou a linguagem corporal do refluxo iminente e intervir apropriadamente. A criação por apego aumenta a produção dos hormônios maternos prolactina e ocitocina, que tem efeito calmante e relaxante sobre a mãe. Acima de tudo, evite a história do "deixa chorar". Bebês com refluxo choram porque estão sentindo dor. Considere atender ao choro do bebê como o melhor remédio para ele.

- Mantenha o bebê parcialmente na vertical, especialmente quando estiver mamando - Sempre que dou de mamar pra Marina, deixo ela sentada ou em pézinha apoiada em mim. A ação da gravidade tende a minimizar o refluxo por ajudar o alimento a ficar na parte de baixo, em lugar de voltar para o esôfago. Tenha cuidado ao deixar um bebê com refluxo sentado por longos períodos em cadeirinhas de carro ou bebês-conforto. Algumas posições ao sentar podem, na verdade, aumentar o refluxo em algumas crianças.

- Mantenha o bebê quieto após as refeições - Segurar seu bebê na posição vertical ou usar um sling por pelo menos 30 minutos após cada mamada. Acima de tudo, não sacuda ou brinque vigorosamente com o neném após as refeições. Isso faz com que o conteúdo do estômago se agite, e aumenta o refluxo.

- Ofereça menores quantidades com maior freqüência -Uma regra geral para alimentação de bebês com refluxo: ofereça a metade pelo dobro de vezes. Menos comida no estômago a cada vez diminui o refluxo. Alimentar com freqüência estimula maior produção de saliva. A saliva contém uma substância que ajuda a reparar os tecidos danificados do esôfago. E também neutraliza o ácido do estômago e lubrifica a musculatura irritada do esôfago.

- Certifique-se de que o bebê arrotou eficientemente -Excesso de ar nas vias gastrointestinais agrava o refluxo. Se o bebê estiver sendo amamentado, faça-o arrotar ao trocar de peito. Se estiver usando a mamadeira, faça-o arrotar a cada pequenas doses de leite ingerido e mesmo após o término da mamada, fico com ela no colo na posição vertical por pelo menos 20 minutos e sempre vem um arroto um bom tempo depois.

- Amamente o seu bebê - O refluxo é muito menos severo em bebês que são amamentados, e uma mãe que amamenta está mais apta a lutar para combater o problema, pelas seguintes razões: o leite materno sai do estômago duas vezes mais rapidamente do que leite em pó, e, geralmente, é melhor tolerado pelos intestinos; bebês amamentados ao seio naturalmente são alimentados com maior freqüência e o leite materno é um anti-ácido natural; as mães se beneficiam do efeito relaxante dos hormônios maternos enquanto estão amamentando.

- Posição correta de dormir - Quando deitados do lado esquerdo, a entrada do estômago está mais alta do que a saída, o que ajuda a gravidade a evitar a volta da comida. Eleve em 30 a 45 graus a cabeceira do berço do bebê.

- Diminua a ingestão de ar e gases - Se o bebê é amamentado ao seio, tenha certeza de que está tendo uma boa pega. Se está usando uma mamadeira, tente usar bicos que minimizam a ingestão de ar. Excesso de ar no estômago e nos intestinos age como uma bomba pneumática, que faz com que o conteúdo gástrico seja regurgitado quando o estômago se contrai.

- Engrossar a alimentação - Como a Patricia do blog Fudeu tô grávida também teve esse problema, ela compartilhou aqui que existem leites anti-regurgitação de composição mais grossa, fazendo com que a criança vomite menos. Pois a gravidade segura no estômago mais facilmente os alimentos mais pesados. Um desses é o Aptamil AR, ele não prende o intestino, muito pelo contrário, ele até ajuda a soltar. A partir dos 6 meses de idade, se o seu bebê usa mamadeira e está pronto para os sólidos e se isso for recomendado pelo seu médico, você pode usar uma ou duas colheres de cereais na alimentação do seu bebê.

- Mamadeira Dr Browns (Dica do Diário de um Grávido) - O ar é canalizado através do sistema de ventilação interno para a área acima do leite ou fórmula. A mamadeira reduz cólicas, gases e ajuda o bebê a regurgitar menos. O sistema patenteado de ventilação interno Natural Flow (fluxo normal) é o único sistema que elimina o vácuo e as bolhas de ar encontradas na maioria das mamadeiras. Permite a entrada de ar através do bico sem incorporar-se ao leite materno ou a fórmula. Os bebês se alimentam mais comodamente porque a abertura lhes permite mamar sem o desconforto de aspirar o ar. Isso reduz as cólicas e os gases, fazendo com que o bebê regurgite menos. O leite materno ou a fórmula flui livremente pelo bico e o ar é canalizado para a parte superior da mamadeira. Este pressão possitiva ajuda a reduzir a entrada de líquidos no ouvido do bebê. (link para compra)


Fonte O Globo

Trocando figurinhas

Resolvi fazer algo de útil em pról das mamães recentes, tirando como base as minhas experiências. Espero poder ajudá-las e caso as mamães mais experientes tenham dicas úteis para compartilhar, deixem recadinhos para que possamos trocar figurinhas e assim consequentemente ajudar outras mamães.

1º caso - A Pega
Tive grande problema com a mamada, talvez porque a Marina tenha pêgo errado desde o princípio e não tive ninguém para me orientar. Tive pouquissimo leite também, o que contribuiu bastante com a dor na hora da mamada. O essencial é acertar na pega! O jeito correto é quando a boca do bebê fica bem aberta e ele tem uma grande porção de mama dentro da boca (lembre-se que amamentar é “dar o peito” e não apenas o mamilo).
2º caso - Mamilo machucado

Sofri bastante com isso, meu mamilo ficou rachado, com pus, saindo sangue e tudo mais. Tentei muitas coisas pra melhorar e o que me ajudou foi uma sequência de procedimentos:
  • Após cada mamada, eu encarnava a índia Potira fazendo um top less básico de 1hora pelo menos;
  • Ao invés de usar absorventes comuns para o seio, usei um protetor de gel chamado Mamare que ajudou a evitar o ressecamento e a rachadura dos bicos dos seios;
  • Meu médico me receitou uma pomada chamada Lansinoh, indicada também por várias colegas no twitter. Mas não encontrei essa pomada em nenhuma farmácia, além de custar cerca de R$90 reais. Então comprei uma chamada Lanidrat que custa R$39 reais e foi tão eficaz quanto;
  • Por último, comprei o bico de silicone para proteger o bico do seio na hora da mamada. Achei muito útil pois a neném pegou com mais facilidade o bico e senti muito menos dor. Esse bico também é interessante para quem tem 'bico invertido' ou reto, tornando impossivel que se molde à boca do neném.

3º caso - A Cinta

Demorei um pouco pra comprar a cinta e começar a utilizá-la, 18 dias pra ser precisa. Mas particularmente acho que 1 semana após o parto é o tempo ideal para começar. Optei pela cinta calça porque abrange desde o abdôme até a região da vagina, cobrindo o local da cirurgia sem ter o perigo de apertá-la ou algo parecido. Achei a cinta ótima, comprei no tamanho M que abrange a numeração do 40 ao 44. Ela é confortável e me sinto segura, além de ficar gatenha e me sentir magra de novo. hehe O importante é pesquisar antes de comprá-la, pois encontrei a mesma cinta por preços variados que foram dos R$49 aos R$90 reais. A nível de informação, efetuei a compra pelo site das lojas Americanas (link). (lembrando que ela é de ziper lateral mas por baixo dele ainda existem os ganchos normais).

4º caso - Gases
O tema é engraçado até, mas não é nada engraçado sentir dores horríveis de gases quando se está com uma cesárea recente. Normalmente as recém-paridas têm grande concentração de gases devido ao parto, o intestino costuma ficar mais lento e acumular gases, podendo aparecer hemorróidas e um certo inchaço na barriga. Depois de uma cesárea, o intestino pára de funcionar por até 24 horas e as cólicas provocadas por gases em excesso na região do abdômen são freqüentes. Isso acontece porque a anestesia peridural paralisa a musculatura do intestino, que se distende pela ausência de contração e faz com que os gases se acumulem. O ideal é que a mãe evite falar nas primeiras horas depois do parto, diminuindo a ingestão de ar. Nos primeiros dias, é aconselhável ainda evitar massas, refrigerantes, alimentos que normalmente dêem gases como feijão, repolho etc. É importante consumir muitas fibras, bastante líquido e sempre que possível caminhar pela casa para que o intestino trabalhe e elimine esses gases. No meu caso, utilizei também o tão famoso Luftal que ajudou bastante.

É isso meninas, espero poder ajudar quem tiver problemas parecidos pois a falta de informação fez toda diferença em minhas experiências doloridas. O 'pitaco' de todas será bem vindo.

Sonho meu

Os bebês sonham e sonham mais que os adultos!
Andei pesquisando sobre o assunto na internet mas encontrei pouca informação sobre, somente o essencial.

Os sonhos acontecem no estágio do sono conhecido como REM (sigla em inglês para Movimento Rápido do Olho). Nos adultos, essa fase ocupa cerca de 25% do tempo em que dormimos. Nos fetos que dormem, chega a 30% a partir do 8º mês de gravidez e nos recém-nascidos a 50%. O sonho serve para armazenar na memória fatos que aconteceram no dia ou no passado.

Como o aprendizado diário do feto e do bebê é mais intenso que o do adulto, é natural que eles sonhem mais, pois têm muito mais informações para ordenar. Mas com que será que eles sonham? Eles sonham com sensações e sons do seu dia-a-dia, mas não com imagens bem definidas. No caso dos bebês é possível que o seio, a amamentação e a fala da mãe estejam presentes em seus sonhos.

Segue abaixo um video da Marininha sonhando fazendo caras e bocas, ou como está explicado acima, em sua fase REM. Me divirto e me apaixono mais ainda com os sorrisinhos que ela dá! Ela sonha muito, parece até aquele cãozinho sonâmbulo que saiu o video no youtube. rs Se duvidar, puxou o pai que fala e faz coisas engraçadíssimas enquanto dorme.

Dia D - parte II

Me levaram pro quarto tremendo mesmo. Minha mãe, o namorado dela, minha irmã e o Gab já estavam lá me esperando. O quarto era minúsculo, o suficiente pra caber apenas minha cama e uma poltrona (onde o Gab dormiu por 3 noites). O banheiro, era maior que o quarto. Vai entender! No dia seguinte pela manhã a enfermeira veio me ajudar a tomar banho. Pra levantar foi um sacrifício, tremia de novo dos pés a cabeça de medo e dor, até que consegui. Logo em seguida, vieram com meu pacotinho e a enfermeira disse: "Agora ela fica integralmente com você mãe. Nós só buscamos pra tomar banho 1 vez ao dia. Boa sorte!" Sorte era mesmo do que eu iria precisar. Com meus pontos e cirurgia doendo que só, dopada de remédios fortíssimos (tais como tramal, voltaren, profenid, lisador), cansada e sem mobilidade alguma, tinha que cuidar dela sozinha. Toma que o filho é teu!

Não me entendam mal, é claro que eu queria ficar com a minha filha, mas eu não tinha condições nenhuma pra isso. Só Deus sabe como eu me virei. Pedia a ajuda das enfermeiras e elas se negavam prontamente, diziam que eu precisava me esforçar e que não podiam me ajudar. Enfim, minha sorte é que minha neném é uma bênção em minha vida, uma bonequinha que mama e dorme. Dorme mesmo..cerca de 4hs. Não foi diferente no hospital, lá inclusive ela dormia até mais. Foi o que me ajudou, ela me ajudou a cuidar dela mesma. Um presentinho de Deus.

E assim foi, recebemos alta na segunda de manhã. Eu tava louca pra sair logo daquele lugar onde fui negligenciada, menosprezada e desrespeitada. Posso ser exagerada, mas foi exatamente assim que me senti. O importante é que ocorreu tudo bem comigo e neném, ambas estamos bem de saúde e ela não me dá trabalho nenhum. Não importa o que sofri até agora, tudo valeu a pena. Algumas, ou muitas coisas poderiam ter sido evitadas se não fosse a má vontade ou falta de profissionalismo de algumas pessoas, mas quando vejo o sorrisinho da minha princesa, os olhinhos fixos dela olhando pra mim e a perfeição que ela é, tudo é esquecido.

O dia D - parte I

Antes de começar, quero informar-lhes que sou cagona, dramática e que cada corpo reage de um jeito diferente em relação à dor. Já ouvi relatos de pessoas que desmaiaram de dor após a cesariana e relatos como o da Dressa Ferreira (leia aqui) que não sentiu dor nenhuma após ela, tanto que recebeu alta do hospital 24hs depois. Portanto, não se assustem. rs

A cesárea estava marcada para as 19hs. Tudo confirmado uma semana antes com o hospital. Um dia antes, liguei para o convênio e descobri que ainda não estava autorizada a minha internação, mas que no dia seguinte era só eu chegar 1hr antes para cuidarem dessa parte burocrática.

O stress começou quando minha carona (namorado da minha mãe) resolveu de repente levar o carro ao mecânico e não sabia se iria dar tempo de me levar. Como assim Bial???? Essas horas não! Mas estava pronta para pegar um táxi e chegar linda e redonda à maternidade. Porfim minha mãe o convenceu a levar o carro outro dia e ele acabou vindo na hora certa. Chegamos no hospital o Gab já estava nos esperando. Fizeram minha ficha e me mandaram ir para o Pronto Atendimento (nome mais bonito para Pronto Socorro) para fazer a triagem. Fomos então, cheios de malas àquele lugar cheio de gente tossindo, de máscara...me diz, para que encaminham uma gestante que está lá para dar a luz ao PS? A nível de informação, eram 17hs e eu ainda estava calma. Só faltava eles entrarem em contato com o plano de saúde e confirmarem minha internação, etc e tal.

Quando a espera pela liberação do quarto começou a ser grande naquele local nada propício, ligamos pro convênio pra saber qual era o problema. Para encurtar, enquanto o plano dizia já haver autorizado, o hospital nos dizia o contrário! E eu largada no corredor do PS, cheia de malas, chorando de nervoso e com uma barriga enorme mechendo mais do que nunca. Já eram 20hs, ou seja, 3 HORAS de espera e confusão. Finalmente chegou um enfermeiro e disse que eu iria direto para o centro cirúrgico. Tipo...ois?? OK! A essa altura eu já nem ligava mais pra nada, só queria logo subir e ser operada pra poder acabar com a minha agonia. Me troquei no banheiro da sala de observação e deitei na maca, já chorando de medo. Sim, eu avisei que sou cagona! Comecei a tremer dos pés a cabeça, tanto que nem conseguia falar pois tinha de ficar mordendo os dentes pra não ficarem batendo uns nos outros. Cena linda! Chegando lá, estavam todos a minha espera há mais de 1hora. A enfermeira disse: Você é a famosa Luciana? Demorou ein? Meu médico super simpático (não é ironia, baixou o santo no homi e realmente ele tava gentil) perguntou onde eu estava, pois me procuraram por todo lugar. Já estava tudo pronto.

Bom, passada a confusão de autorização, começaram a me preparar para a cirurgia. A tal da peridural, não gostei não. Senti dor. Meu médico e o anestesista discutindo se tava encaixado ou não. Como assim, encaixado aonde? O que? Aflição! Na mesma hora comecei a sentir formigamento nas pernas e me deitaram. Olha gente é bem pessoal, mas eu tenho um grande problema com anestesias fazendo efeito em mim. Morro de aflição e medo quando sinto meu membro anestesiado 'indo embora'. Quando a anestesia é geral então nem se fala! Sensação de que tô indo dessa pra melhor. Pra minha irmã por exemplo, foi a melhor parte do parto. Ela disse que é uma sensação gostosa. Enfim, comecei a não sentir mais o meu corpo praticamente do pescoço pra baixo, fiquei gemendo de aflição e cagasso enquanto os médicos ficavam perguntando se tava tudo bem. Eu nem sabia responder essa pergunta! Meu médico veio bem perto e disse: Você já tomou anestesia no dente? É igual, você sente tudo menos dor. Então fica calma.. A sensação era a de que eu não tava respirando, já que não sentia meu tórax levantando. Perguntei umas mil vezes pro anestesista se tava tudo certo, se eu tava respirando bem. Enfim...

Foi bem assim, sentia eles mexendo em minhas pernas e barriga. Aflição de novo! Pedi mil vezes pra não me cortarem enquanto o Gab não entrasse. Desespero. Ele entrou, me acalmei um pouco e mal sabia que já tava sendo aberta fazia tempo. Em menos de 5 minutos o Gab foi pros meus pés com a câmera. Comecei a sentir uma dor de garganta terrível (não me perguntem por que, essa nem o anestesista soube dizer) e um empurra empurra na minha barriga. O Gab disse: Ela tá vindo...ela é linda amor!!!! E meu médico fazendo piadinha: É, eu tava certo..é menina mesmo viu? Eaí escutei o melhor som de toda minha vida, o chôro agoniado. Recebendo ar pela primeira vez nos pulmões. Chorei eu. Logo ela parou, eu continuei.

Ainda tremia feito vara verde, parecia que tava tendo convulsão.
Não sei se pela anestesia, pelo nervoso ou tudo junto. Então a enfermeira trouxe minha pequena pra eu conhecer, que ansiedade. Esperei 9 meses por isso! Calminha. Me passou toda serenidade que havia nela e eu consegui esquecer de tudo. Em todos os outros momentos, eu chorei, tremi, gemi, reclamei, senti dor, mas não nesse...Ela colocou a mãozinha no meu rosto e o Mundo parou ali.

Passou rapido, logo ela a levou embora. O anestesista me deu uma injeção horrorosa no braço que ainda tá roxa e meu médico deu bronca nele. Devia ter dado na perna pô, já não sentia nada mesmo. Então o Gab também teve que sair. Os médicos terminaram o trabalho deles e se despediram. Fiquei com o anestesista e as enfermeiras. Começou um enjôo fortíssimo, vomitei! Um horror. Todo esse filme se passou em 40min mais ou menos. Me levaram para sala de pós operatório onde eu achei que ficaria sob supervisão. Mas fiquei somente 5min e já vieram me levar para o quarto! Como assim?? Tudo errado. Eu tremia horrores, ainda com os dentes travados, não sentia meu corpo e me mandaram pro quarto? Decepção com o hospital parte 3225346.

Continua no próximo..

Ela chegou!

Sei que ando sumida ultimamente mas o motivo é dos melhores e nem tanto assim. Dos melhores porque minha filhota linda nasceu e toda minha atenção está voltada pra ela mas por outro lado, o 'nem tanto assim' é porque se recuperar da cesárea não tem sido muito fácil pra mim não.

Bom, a Marininha nasceu dia 25/09 sexta-feira às 20:25hs pesando 3.165kg e medindo 50cm. Ambas estamos bem e saudáveis. Estou escrevendo o relato do parto pra postar aqui pra vocês, será meu próximo post. Este aqui foi somente para dar uma satisfação a quem comparece por aqui sempre e viu que o blog tá abandonado. rs É isso, logo mais eu volto com o relato do dia D! Abaixo, uma foto da minha princesinha em seu primeiro dia de estréia nesse Mundo de meu Deus (detalhe para o celular 'aperuado' da vovó tirando foto dela).


39 semanas

Essas são as últimas notícias da barriga pois nessa sexta Marina já estará em meus braços. Então a barriga nesta semana está assim, o bebê está com 48cm e pesa em torno de 3250g. Que bebezão! Os bebês acumulam gordura até o fim da gestação, já que perdem peso logo que nascem e precisam dela para regular sua temperatura.

Pulmões estão maduros e o intestino já tem as primeiras fezes do bebê, chamada de mecônio. Em razão da iminente possibilidade de um novo bebê surgir ao Mundo, o banheiro passa a ser a segunda "casa" da mamãe. Fique sempre atenta aos sinais das contrações e rompimento da bolsa. Se isso acontecer, avise seu médico e vá para a maternidade. O ideal seria a mamãe ter engordado até agora no máximo uns 15 kg. Mas é claro que isso depende muito de mulher para mulher. Quanto ao útero, ele varia dentro da sua barriga, podendo estar até 20 cm acima do seu umbigo.

Vontade de fazer xixi
Você saberia responder o motivo de você ir constantemente ao banheiro durante toda gestação? O primeiro motivo é o aumento do hormônio progesterona no organismo da mamãe. A outra causa é o crescimento do bebê juntamente com o útero que pressionam a bexiga, aumentando a vontade de ir ao banheiro. Só fique alerta ao sentir dor ou ardor ao fazer xixi. Isso não é normal e deve ser comunicado imediatamente ao seu médico.

Documentário Vida no Ventre - O Parto
video

Declarando o declarado!

Passeando pelos blogs das gravidinhas como de costume, vi o texto que a Kira fez e me identifiquei muito com ele. Talvez por nossa história ser muito parecida em vários aspectos. Enfim, assim que o li, vi minhas palavras saindo pelos dedos de outra pessoa, no caso, o da Kira. hehe Também agradeço todos os dias (geralmente de madrugada porque estou acordada), por ter o Gabriel ao meu lado. Por ele tornar minha gravidez muito mais agradável, mesmo com todos os revézes que enfrentamos. Por ele ser tão carinhoso suprindo toda minha carência de grávida melancólica, por ele ser tão paciente comigo mesmo com meus hormônios desregulados de louca varrida, por ele ser sempre tão atencioso e cuidadoso quando sinto dores pela madrugada e me enche de travesseiros por todos os lados pra tentar fazer com que elas diminuam. Agradeço por ele ainda estar comigo e declarar seu amor por mim todos os dias, sem se esquecer de um sequer. Agradeço sobretudo porque ele é o pai da minha filha e se ele é um ótimo 'marido', com certeza será um pai maravilhoso.
Te amo Gabriel e espero retribuir tudo que você é pra mim a cada dia de nossa vida juntos.

Aqui vai o texto da Kira:
Aprendi que "casamento" não é só dividir um teto e uma vida. É ter de triplicar a paciência habitual e por muitas vezes pensar primeiro no próximo e depois na gente. Aprendi que morar junto com alguém e que dormir e acordar todos os dias juntos, não basta ter tesão, vontade e disponibilidade, tem de ter companheirismo e muito amor.
Aprendo cada dia mais, com você e comigo. Aprendo que ter alguém pra andar conosco, não significa que temos de abrir mão da nossa individualidade, do nosso próprio gostar e da nossa música favorita por mais que seja brega. Só quem é "casado", só quem passa por verdadeiras dificuldades juntos, só quem apoia um ao outro independentemente de ter brigado na noite passada, sabe o verdadeiro significado de " eu te amo não é bom dia".
Brigar é fácil e dizer " amanhã agente conversa " também! Mas brigar, resolver como adultos, aprender a deixar de brigar por bobagens e vez ou outra relevar, é coisa de gente grande, coisa de gente madura. Nunca fui a favor da paixão, a paixão chega, derruba e você não vê mais nada, nem os defeitos. E pra um relacionamento, aprendi que é necessário que hajam defeitos. Pra um dia se jogar na cara e rir deles, pra entender com eles e principalmente pra ver como as qualidades ultrapassam tudo!
Por isso prefiro o amor. Prefiro aprender com tudo isso, chorar, me sentir sozinha as vezes, ter crise de ciúmes e ser paranóica muitas vezes. Prefiro aprender errando, prefiro aprender na marra, prefiro ouvir o "eu te avisei " depois.
Prefiro errar, cair, chorar e ouvir você falando "calma amor".
Aprendo todos os dias a ser paciente como nunca fui, e a correr atrás de algo que quero, a construir hoje para ter no amanhã. Te amo e vou assim, aprendendo a te amar cada vez mais mesmo com os seus defeitos, mesmo com meus defeitos, mesmo errando e acertando!
Agradeço todos os dias por você ser o pai da minha bebê, porque eu não poderia ter cometido o melhor "erro" assim com outra pessoa!

Twitter amigos

Fiz meu twitter no começo da gravidez porque o Gab insistiu muito, assim como o blog. Resolvi ver qual que era a desse negócio. rs O que eu não contava era com o apoio que receberia, troca de figurinhas com gravidinhas e mamães, além de todo conhecimento e dicas recebidas delas. Ganhei amigos sinceros que nos ajudaram em muitas coisas e que até nos enviaram presentinhos. Realmente eu não esperava por isso tudo. Hoje não me vejo mais sem esse passarinho...virou mesmo um vício!

As pessoas que encontrei através dele são muito especias e preenchem minhas tardes ociosas. Me ajudaram muito na minha gestação toda quando atravessei momentos de puro stress e melancolismo e continuam me ajudando. Criei esse post para agradecer essas pessoas que foram tão fofas e essenciais até agora.


Em especial ao 'Clube da Barriga' que tanto me ajudou na minha gestação, trocando dicas, conselhos e conhecimentos que continuo adquirindo a cada dia. Graças a elas, não me sinto tanto uma Grávida de Primeira Viagem. Estou mais confiante para cuidar de minha lumbriguinha que já está pra chegar. Essa é a patota mais badalada da internet e a mais faladeira também, com certeza. hehehe Isso aqui tá mais parecendo um agradecimento na entrega de um Oscar isso sim! Continuando com as homenagens, quero agradecer às pessoas fofoletérrimas nos deram presentinhos.

@claudiamilano me mandou essa belezinha de vestido, mais as mamadeiras e chupetas.. ...mandou também esses bodys da Carter´s super chiques e mais um monte de coisinhas que eram da filha dela que eu amei.

@eric_twittando me mandou esse body lindo com a baleinha do twitter que a Nicole, filha dele e da @claudiamilano escolheu.

a @lulacerdarj fez o quadrinho e as lembrancinhas da maternidade pra nós que são muito delicados e lindos

a amiga @babibarcellos que tem sido tão especial nos comprou esse conjuntinho e trouxe mais mil coisinhas aqui em casa, além é claro de ter sido essencial pra nós quando o Gab operou o apendice e ficou no hospital por 1 semana

a @bastosdanielle nos mandou essa toalhinha linda e charmosa
que é enorme e vamos usar por muito tempo
Porfim mas não menos importantes, não poderia deixar de agradecer aos que nos ajudaram com a Vaquinha pro enxoval da Marina que também foi muito bom: @danih @ascouto @annepires e @babibarcellos. E a todos que me visitam aqui no blog e que deixam recadinhos tão amorosos e conselhos que vou levar pra vida toda. Vocês fazem esse blog, que com poucos meses de existência tem centenas de acessos por semana e por isso agradeço muito. Todos devidamente agradecidos, vocês foram muito gentis e atenciosos com Marininha. Depois tiro foto dela com cada roupinha que ela ganhou. Amamos muito tudo! Obrigada amigos twitters.

vem Marina vem!

Oooi. Vim aqui informar-lhes que a cesárea foi marcada hoje para o dia 25/09, sexta-feira! Marina vem ao Mundo finalmente...meus dias de xixi sem fim irão terminar, minhas dores terríveis no cóccix também, nem acredito. Nova fase terá início agora, ansiedade a mil! Minha pequerrucha tá vindo...vou conhecer seu rostinho, será cabeluda? Será moreninha que nem a mamãe? Ou branquela como o papai? rsrs aiii Jesussss me abana....

Marina com 9 semanas
Marina com 12 semanas
Marina com 22 semanasAs próximas serão do nascimento...mal posso esperar!

E quem puder ajudar a nossa vaquinha a desencalhar, vamos precisar muito e Marininha agradece.

 
Sinceramente... © WeDesigned | Editado por Lu Boury